08 outubro 2013

"Veneno Remédio"

Não é por nada, meus caros, mas falta tempo para escrever no blog e também para reler alguns dos muitos livros que eu preciso indicar aqui. É o caso deste “Veneno Remédio”, de José Miguel Wisnik. Li há muito tempo, gostei bastante, mas já não poderia agora, sem uma releitura, fazer uma análise detalhada. Para não deixar de fazer a indicação, copio a sinopse da própria Companhia das Letras (a partir de link que possibilita também a compra do livro).




"Os estudos de grande abrangência sobre o futebol, ao abordar as questões políticas, sociais, econômicas e comportamentais em torno do esporte, costumam deixar de lado o essencial: o jogo em si, aquilo que faz dele uma atividade capaz de apaixonar bilhões de pessoas dos mais remotos cantos do mundo. 

O futebol, tal como foi incorporado e praticamente reinventado no Brasil, tem muito a dizer, com sua linguagem não-verbal, sobre algumas de nossas forças e fraquezas mais profundas, ajudando a ver sob outra luz questões centrais da nossa formação e identidade. 


Temas recorrentes na melhor ensaística brasileira, como a "democracia racial", o "homem cordial" e a deglutição antropofágica do influxo cultural estrangeiro, encontram aqui um viés inesperado e original como um corta-luz, um drible de corpo, um lançamento com efeito ou uma folha-seca - jogadas que os craques brasileiros inventaram ou desenvolveram, encontrando novos caminhos para chegar ao gol e à vitória. Lançando mão de um sofisticado instrumental crítico que bebe na filosofia, na sociologia, na psicanálise e na crítica estética, José Miguel Wisnik desce às minúcias do jogo da bola e de sua evolução ao longo das décadas. Nas páginas deste ensaio, craques como Domingos da Guia, Pelé, Garrincha e Romário põem à prova, com sua linguagem não-verbal, idéias sobre o país de escritores como Machado de Assis, Mário e Oswald de Andrade, sociólogos como Gilberto Freyre, historiadores como Sérgio Buarque de Holanda e Caio Prado Júnior. 


O futebol, em Veneno remédio, não é mero "reflexo" da sociedade, mas tampouco se desenvolve à margem dela. É, como mostra Wisnik, uma instância em que as linhas de força e de fuga do embate social e da construção do imaginário se apresentam de modo ao mesmo tempo claro e cifrado, como costuma acontecer com as expressões artísticas."


###

O horário das 19h30 matou qualquer possibilidade de viagem para Londrina/PR hoje. Em sendo assim, só vai dar mesmo para ir ao estádio do Café na próxima sexta-feira, contra o Guaratinguetá. Por ora, deixo-os com a programação do Palmeiras nas próximas semanas (considerando apenas as rodadas já desmembradas pela CBF/Globo, com dias e horários definidos):

08/10, 3ª, 19h30 - Palmeiras x Figueirense/SC - Londrina/PR (28)
11/10, 6ª, 21h50 - Palmeiras x Guaratinguetá/SP - Londrina/PR (29)
15/10, 3ª, 21h50 - Icasa/CE x Palmeiras - Juazeiro do Norte/CE (30)
19/10, sab, 16h20 - Bragantino/SP x Palmeiras - Marcelo Stéfani (31)
25/10, 6ª, 19h30 - Palmeiras x São Caetano/SP - Pacaembu (32)

9 comentários:

Frederico disse...

Esquenta não Barneschi, nesse jogo eu vou, te mando um foto de lá. Abraço!!!

Rodrigo Amato disse...

Pal x SC numa sexta às 19:30, sendo potencialmente o jogo do acesso... é essa a força dos Palmeiras nos bastidores, meus caros! O gambá em 2007 desbancou o luciano huck e foram obrigados, aqueles q assistem a emissora câncer, a ver o choro do "povo"... infelizmente isso é apenas sintomático, o mal está muito mais enraizado do que podemos ver e imaginar... lamentável!

Gerson disse...

valeu pela dica mano

Anônimo disse...

Assunto fora do post. Qual a sua opinião sobre esse caso, abuso de autoridade por parte da confederação, ou uma medida importante que visa manter a tradição de um clube (expressando inclusive o desejo de sua torcida)? https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10151888749192878&set=a.70566887877.72440.70254297877&type=1

Barneschi disse...

Cara, eu não consigo ver nenhum sentido nessa determinação da AFA. Nenhum.

André Fix disse...

Tambem assunto fora do post...

Barneschi, vi na torcida do River, no superclassico (link ultras) uns porquinhos. Sabe por que?

Valeu.

Andre

Diego disse...

Galera,

FELIZMENTE, a CBF voltou atrás de sua decisão imbecil, estúpida e digna de ratos nazistas, colocando o nosso jogo de novo no sábado a tarde contra o azulinho do ABC.

É jogo pra não caber mais gente nem mesmo em cima dos muros do estádio. Confirmação da volta á elite, estreia da camisa nova e sábadão á tarde.

AVANTE !

Anderson Garou disse...

Boa indicação Barneschi. Vou dar uma caçada nas lojas da net.

Valeu pela boa notícia Diego. Dia 26 promete!!!

Conrado disse...

Li há uns 4 ou 5 anos. Leitura densa, difícil. Requer cabeça absolutamente limpa.