07 março 2013

"Modern football is rubbish"

Dando sequência à série (que já agrega os outros livros sobre futebol, com uma aba aí na barra direita do blog), eis que agora abre-se espaço para um livro britânico que reflete o desânimo dos súditos da rainha (sempre nunca quis apelar para esse jargão idiota) com o esporte bretão (taí outra apelação grotesca para completar o serviço):

























O título, “Modern football is rubbish”, pode ser livremente traduzido como “futebol moderno é lixo”. Diz muito sobre o que se vai encontrar nas pouco mais de 200 páginas seguintes. O subtítulo é ainda mais elucidativo: “An A-Z of all that is wrong with ‘the beautiful game’”. A foto da capa traz um velho estádio britânico a sediar um duelo que remonta a tempos idos: campo enlameado (parece nem haver gramado, só lama mesmo), uniformes sem patrocínio, bola de capotão...

Bastante simples (formato de bolso, papel de jornal, edição sem índice, prefácio ou qualquer contextualização), o livro foi escrito por Nick Davidson e Shaun Hunt, que sequer são formalmente apresentados - e eu confesso que não fui atrás de informações sobre a dupla; sintam-se à vontade para fazer isso e compartilhar no campo de comentários.

A estrutura é igualmente simples: rápidos capítulos, uns 70 provavelmente, sem ligação aparente entre um e outro, com títulos de A a Z. O que existe de comum entre eles? Apenas a constatação de que o futebol moderno é um lixo.

É um livro irregular, de altos e baixos quase que na mesma proporção. Há passagens memoráveis, e outras pouco interessantes - em especial aquelas que se dedicam a apontar aspectos locais do futebol inglês, nem sempre assim tão acessíveis ao público de outros países. Confesso que algumas referências pouco compreensíveis me levaram a recorrer a outras fontes.

As temáticas abordadas são as mais diversas: malefícios da elitização, a idolatria exagerada a jogadores que nada fizeram para merecer tanto, o marketing predatório, o papel da imprensa, o desempenho dos árbitros, o excesso de dinheiro no futebol, a intromissão das emissoras de TV, a falta de escrúpulos dos dirigentes, a perda de identidade entre o "povo" e o "esporte do povo"...

Pois bem, como a ideia aqui não é fazer propriamente uma resenha, vou trazer alguns trechos que me parecem os mais expressivos:

Aqui vai um capítulo inteiro, título incluso:

"Big four, the
They´re big, there are four of them and they won´t let anyone else to play"

Direto e reto, não?

Mais uma boa passagem, também com o título:

"Club websites
Look, we just want ticket information
(...)
And, when we finally get to the ticket information, what do we find? Yes, the tickets we were after have sold out. Gobbled up by Platinum Club members. Grrrr."

Outro, sobre autobiografias de jogadores:

"There used to be a time when players waited until the end of their sodding careers before sitting down with Harry Harris for a pint and a chat. These days the average age for a Premiership player's autobiography is twenty-four.
T-w-e-n-t-y e-f-f-i-i-n-g f-o-u-r! That´s not a life story. It´s a glorified school report.
All footballers' book follow the same tired format. Here's the template:
1. Played football in the street (a lot).
2. Went to school. Didn´t like school much. Captained school team. Scored 376 goals in a single season.
3. Was expeled from school.
4. Signed YTS forms for local club.
5. Broke into the first team.
6. Broke into England squad.
7. Got a celebrity girlfriend.
8. Got caught 'playing away'.
9. Missed a penalty and/or sent off in crucial World Cup game.
10. Got a six-figure book deal."

Gosto deste trecho aqui também:

"Look, there is only one World Cup. The very fact that other sports have to add a rugby or cricket prefix tell us everything we need to know. Football is the world's game. Rugby and cricket are not."

E que tal este?

"Flashy boots
£ 199,99 for a pair of football boots? You're having a laugh.
Don't we ever learn? Who was the best player at school? The rich kid who turned up to football training in the latest Man United kit and a brand new pair of Puma Kings? Or the scrawny kid, with the band legs and boots bought off the hanger of Woolworths?"

Polêmica há quando os autores afirmam que "it is all Nick Hornby's fault". E, acreditem, a argumentação é consistente. Eles traçam uma relação entre a data de publicação de "Fever Pitch" e tudo o que viria a acontecer desde então, em especial a terrível mudança no perfil do público que vai aos estádios. Segundo os autores, a bíblia do torcedor de futebol tem influência nisso. A conclusão é difícil de ser rebatida: "Let us be clear, we think Fever Pitch is a work of a genious, one of the best books ever written about the game we love. It certainly changed football literature for the better. Unfortunately, and unintentionally, it change football itself. For the worse."

Tá, estou com preguiça e sem tempo de traduzir os demais trechos, mas esse aqui merece, para plena compreensão: Sejamos claros: nós achamos que Febre de Bola é um trabalho genial, um dos melhores livros já escritos sobre o jogo que amamos. Certamente mudou a literatura do futebol para melhor. Infelizmente, e sem intenção, mudou o próprio futebol. Para pior.

E, para fechar a parada, deixo-os com uma breve citação que resume o livro e, pior, o que vivemos hoje. Ela vem do capítulo "Books about football finance":

"You don't have to be John Manynard Keynes to work out what's wrong with modern football. It's simple - there's too much money in the game."

###

Onde comprar:
Ouso dizer que o livro nunca será lançado aqui no Brasil (não há público para isso no dito "país do futebol"), e então a única opção é a internet. Eu comprei na Amazon e o preço é bem razoável (na faixa dos U$ 10, mais as taxas). Demora uns 15 ou 20 dias para chegar no Brasil. Se preferir, tem a versão para o Kindle.

18 comentários:

Leonardo disse...

Opa, mais um livro para se colocar na lista dos ''livros a serem lidos''.

Uma pena que tanto do futebol moderno já esteja completa e irreversivelmente enraizado.

Terminei de ler hoje à tarde ''La Doce'' e já irei atrás de mais um dos livros citados aqui no Forza Palestra.

Um livro que talvez merecesse destaque é ''A torcida brasileira'', de Bernardo Borges Buarque de Hollanda.

A sinopse: A “torcida” brasileira tem origem no gesto das espectadoras que frequentavam os primeiros estádios de futebol da belle époque carioca: nos momentos decisivos das partidas, elas torciam os lenços, nervosas, e com isso criaram um novo sentido para o verbo “torcer” – que passou a ser associado ao fervor das arquibancadas. Nos quatro ensaios que compõem este livro, os torcedores em ação ao longo de várias décadas servem para evidenciar as transformações históricas da sociedade brasileira, desde que esta foi capturada pelo torvelinho das paixões futebolísticas, no início do século XX.

Leonardo Nakamura

Anônimo disse...

qyue absurdo esse blog! logo num dia em q todos esperam de vc um pronunciamento sobre os bandidos que agrediram os jogadores vc vem com uma reportagem sobre um livro nada a ver? pq a omissao nesse momento?????

Barneschi disse...

Vou pontuar as coisas de maneira bem concisa:

-O post sobre o livro já estava pronto há tempos e a programação (levada a cabo) era que fosse publicado às 18h de ontem. Seria assim qualquer que fosse o resultado do jogo pela Libertadores.

-Você já deveria saber que este é um blog feito a partir da arquibancada e, salvo exceções muito pontuais, não escrevo sobre jogos aos quais não pude estar presente – tipo esse da última quarta-feira, fora do país.

-Você deveria saber também que não exalto o senso comum. Em sendo assim, não há o que ficar falando sobre o caso, já que a, digamos, “opinião pública” está muito bem definida. E eu nem contesto a opinião geral dessa vez, mas não serei mais um a propagar as mesmas palavras de ordem contra quem quer que seja.

-Se há alguma insatisfação da sua parte, sugiro que procure a central de assinantes do blog e providencie o cancelamento da sua assinatura. Todas as mensalidades que você pagou até hoje serão ressarcidas.

Anônimo disse...

Barneschi,

O matuto aí não entende ironias!!

Pena que quando eu assinei o blog não tinha essa opção de ter as mensalidades ressarcidas.


Abs
Daniel

Raoni Machado disse...

Barneschi,
Atrasei um pouco a mensalidade deste mês?
Podemos renegociar esta parcela sem os juros?

Anônimo disse...

Barneschi,

Não tem como passar por aqui, e não comentar a respeito do que aconteceu na Argentina, foi Lamentavel......

Tudo o que envolve o Palmeiras, eu to dentro, seja a TUP, a Mancha, a Savoia, Porks, enfim....mas a Mancha esta sem controle, sem comando, tanto é, que o cara principal que aparece no video é da Diretoria, então esperar o que da Mancha ????

Outra coisa, dizer que o motivo disso tudo foi o Valdivia ter mostrado o saco pra torcida no aquecimento, acredito que antes disso, a Mancha ja estava chingando ele, ou eu estaria errado ????

Como eu li em um Post recente no Verdazzo, a Mancha tem que se reciclar, e tentar olhar la no passado quando do seu inicio, para rever o que esta sendo feito de errado agora.....

Abraço.

Barneschi disse...

Daniel
Protocole o seu pedido em duas vias autenticadas e talvez dê para fazer esse ressarcimento ainda. Ou, se quiser voltar a ser assinante do blog, consulte a promoção para novas assinaturas.

Raoni
Pode pagar normalmente a mensalidade do mês. Os juros serão acrescidos à próxima mensalidade.

Abraços

Rafael Teixeira disse...

"... vc vem com uma reportagem sobre um livro nada a ver?"

Tem como ser mais alienado? Acho que não.

Além disso, você acha que é quem pra exigir pronunciamento sobre algo? Francamente.

Yuri disse...

O fato dos autores não terem sido apresentados pode ser pelo fato deles nem existirem com esses nomes.

Anônimo disse...

livro bom mesmo é "among the thugs", de bill bufford.

Origine Operare disse...

Livro comprado, amigo. E o caso que aconteceu lá na Argentina, eu acho que a Mancha está coberta de razão. O cara não joga e ainda faz gestos obscenos para a torcida merece apanhar.

Abraços, e aparece lá na Javari qualquer dia. Aliás, domingo tem jogo ás 10h. Abs

Matheus - DF disse...

to meio sem o que fazer, então vão algumas traduções:

"Big four, the
They´re big, there are four of them and they won´t let anyone else to play"

quatro grandes, os
são "grandes", há quatro deles e eles não vão deixar ninguém mais jogar

"Club websites
Look, we just want ticket information
(...)
And, when we finally get to the ticket information, what do we find? Yes, the tickets we were after have sold out. Gobbled up by Platinum Club members. Grrrr.

sites dos clubes
olha, nós só queremos informações sobre ingressos
e, quando finalmente chegamos às informações sobre ingressos, o que encontramos? sim, os ingressos que procurávamos já se esgotaram. surrupiados por membros Platinum.


"Flashy boots
£ 199,99 for a pair of football boots? You're having a laugh.
Don't we ever learn? Who was the best player at school? The rich kid who turned up to football training in the latest Man United kit and a brand new pair of Puma Kings? Or the scrawny kid, with the band legs and boots bought off the hanger of Woolworths?"

199 libras por um par de chuteiras? você está de sacanagem. será que não aprendemos? quem era o melhor jogador na escola? o garoto rico que aparecia pro treino de futebol usando o último uniforme do Manchester United e um par novinho de Puma Kings? ou o garoto esfarrapado, de pernas tortas e chuteiras advindas da prateleira do Woolworths?

Matheus - DF disse...

"Look, there is only one World Cup. The very fact that other sports have to add a rugby or cricket prefix tell us everything we need to know. Football is the world's game. Rugby and cricket are not.

olha, só há uma copa do mundo. o singular fto de que outros esportes têm de adicionar um prefixo "rugby" ou "cricket" nos conta tudo que precisamos saber. o futebol é o jogo mundial. rugby e cricket não.


"There used to be a time when players waited until the end of their sodding careers before sitting down with Harry Harris for a pint and a chat. These days the average age for a Premiership player's autobiography is twenty-four.
T-w-e-n-t-y e-f-f-i-i-n-g f-o-u-r! That´s not a life story. It´s a glorified school report.
All footballers' book follow the same tired format. Here's the template:
1. Played football in the street (a lot).
2. Went to school. Didn´t like school much. Captained school team. Scored 376 goals in a single season.
3. Was expeled from school.
4. Signed YTS forms for local club.
5. Broke into the first team.
6. Broke into England squad.
7. Got a celebrity girlfriend.
8. Got caught 'playing away'.
9. Missed a penalty and/or sent off in crucial World Cup game.
10. Got a six-figure book deal."

Houve um tempo em que jogadores esperavam até o fim de suas malditas carreiras antes de se sentarem com Harry Harris para uma cerveja e uma conversa. Hoje em dia a média de idade para a autobiografia de um jogador da premiership é vinte e quatro! vinte e quatro, porra! isso não é uma história de vida. é um resumo de escola supervalorizado. todos os livros de jogadores de futebol seguem o mesmo formato desgastado. aqui está o molde:

1- jogava futebol na rua (muito)
2- foi para a escola. não gostava muito da escola. foi o capitão do time. meteu 376 gols em uma temporada.
3- foi expulso da escola
4 - assinou contrato juvenil com o clube local.
5- foi parar no time principal.
6 - foi para a seleção da inglaterra.
7- arranjou uma namorada celebridade.
8 - foi pego "chifrando", "na putaria"
9 - errou um penalti e/ou foi expulso em jogo crucial de copa do mundo.
10 - arranjou um contrato literário de seis dígitos.

Anônimo disse...

Boa noite Barneschi, ha alguns comentarios que são na verdade, meios de procurar alternativas sobre assuntos que demonstram uma seria incapacidade de comandar pessoas que torcem para o mesmo clube.Fui inumeras vezes ao estadio, tomando chuva, sol e ate pedradas, mas ha algo que seduz a todos, a paixão pelo futebol de raiz, com todos os ingredientes , que só aos frequentadores de velhas e boas arquibancadas, tem a contar.Sempre leio alguma obra sugerida, e concordo em enfatizar a realidade do futebol, moderno, como uma alternativa afeminada de conter a PAIXÃO, que eu e voce nutrimos pelo clube, sendo que mesmo com a inauguração da Nova Arena, ainda teremos a mesma chama de gritar PALMEIRAS, como nos velhos tempos, apesar das afeminadas tentativas de comportamento vigiado, sendo a morte ao futebol de raiz, onde torcer signifacava ter a alma limpa de preconceitos!
Parabens, Barneschi, mantenha sua materias amarradas ao futebol de raiz, com toda a sua peculariedade!
Claudio Longo, que tem saudade dos estadios, mais simples sem limites!

César SEP disse...

Será que os livros "Soccer vs State" e "Modern football is rubbish" irão ser traduzidos futuramente?

Roberto Rocha disse...

Mas o livro é apenas em ingles não é isso ?

Barneschi disse...

Cara, acho muito pouco provável que os livros sejam traduzidos para o Português. Não há público suficiente para isso aqui no dito "país do futebol".

Anônimo disse...

Hi my friend! I want to say that this post is amazing, great written and come with almost all vital infos.

I'd like to peer more posts like this .

Feel free to visit my webpage ... natural cellulite treatment