02 abril 2012

Turiassu, 1840 (8)



Casca de amendoim. Parecia ser a sujeira mais difícil de sair do vão entre os lances de arquibancada (aqueles que tremiam às vezes de maneira preocupante) e então era este o cheiro que ficava impregnado no ar. Quando chovia - e o índice pluviométrico em São Paulo deve ser substancialmente mais elevado durante os jogos do Palmeiras -, o odor era ainda mais forte: casca de amendoim molhada. Eu penso no Palestra e minha memória olfativa (existe isso?) é exatamente esta, por vezes misturada àquele cheiro não muito agradável da fumaça verde que tomava conta da arquibancada.

Por sinal, minhas melhores lembranças do Palestra estão todas ligadas ao que existia de mais, digamos, ultrapassado no nosso estádio. Por exemplo: reconheço os méritos das (nem tão) novas torres de iluminação, mas o meu afeto pertence todo àquelas desgastadas e antiquadas torres de ferro que se erguiam por trás da arquibancada. Era por ali que subiam os vendedores de amendoim. De quando em quando, eles saltavam das torres em direção à arquibancada, assustando os mais desavisados - a PM sabia e fazia vista grossa. Mas a função principal das torres era iluminar o gramado, e nisso elas eram terríveis: era quase uma luz de boate, com sombras por todo o campo, em especial ali perto dos escanteios. Bons tempos...

Como bons também eram aqueles tempos em que tínhamos as barraquinhas de pernil e calabresa no entorno do Palestra. Até porque o lado de dentro quase não oferecia opções decentes. Havia, claro, o amendoim torrado, armazenado em sacos enormes e servido em porções calculadas com base em copos de plástico. Um outro tipo era aquele doce, em pacotes que faziam qualquer um duvidar da higiene no manuseio. "É seis por um real". Hoje, sinal dos tempos, o preço é outro: "Quatro por dois reais". De resto, o básico: sorvetes (Kibon ou Nestlé, a depender do contrato em vigor), refrigerante, cerveja sem álcool, água, hot dog com pão, salsicha e os dois condimentos tradicionais. Em tempos idos, os bares abaixo do campo vendiam pipoca, feita na hora mesmo. Nada memorável, e deve ser por isso que o amendoim ganhou tanto destaque....

Memorável mesmo era o som que se ouvia ao entrar no Palestra. Os passos apressados de quem chegava pelo portão principal e queria entrar o quanto antes, as ordens da PM para que os torcedores tirassem o boné antes da revista, "carteirinha de estudante na mão", a catraca engolindo os ingressos para não mais devolvê-los, o canto que se ouvia lá de dentro, os primeiros anúncios do alto-falante. Ao passar pela curva em direção ao outro lado, os preparativos do nosso time no vestiário lá embaixo, os cumprimentos de quem estava ali bem atrás do gol, o encontro definitivo com a massa barulhenta na arquibancada central, o lugar de onde ela nunca deveria ter saído.

Em todo esse percurso - e em qualquer lugar dentro do Palestra -, os apertos de mão e abraços sempre foram o sintoma maior de estarmos todos entre amigos, quase irmãos. Hábitos já em desuso, admito, mas a decadência elegante do nosso estádio é provavelmente o que mais deixa saudades em cada um de nós.

Por favor, devolvam logo o nosso estádio!

25 comentários:

@ThiDurante disse...

Impossível não se emocionar, com tantos detalhes que nos transportam até o nosso Palestra.

Saudade.

Raoni Leal disse...

Caraca, a gente vai lendo isso e vem vindo um filme na nossa cabeça! Como isso é possível! Puta que pariu, que saudade do nosso Palestra!!

radiossauro3 disse...

"minhas melhores lembranças do Palestra estão todas ligadas ao que existia de mais, digamos, ultrapassado, no nosso estádio"

Trecho perfeito. Todas mesmo.

Bruno Mazucatto disse...

Grande texto! Lembranças inolvidáveis!

Vale lembrar que os sorvetes possuíam sua derivação, uma vez que, clandestinamente, também subiam às arquibancadas pelas antigas torres de iluminação (e alguns pelo teto do ginásio, ao lado direito do placar) os vendedores de sorvete feitos em casa e vendidos por módicos R$ 0,50.

Celso de Campos Jr. disse...

Texto sensacional.

O Barneschi já citou Saudosa Maloca para falar do Palestra, mas empresto outra criação do mestre Adoniran para tentar explicar o sentimento de saber que esse Palestra das cascas de amendoim, da iluminação de boate e das clarabóias da arquibancada, infelizmente, não volta mais.

"A tristeza é um bichinho que pra roer tá sozinho... E como rói, a bandida. Parece rato em queijo parmesão."

Mas é o pogréssio, né?

CASSELLl disse...

Por falar em cheiro, importante mencionar o Fumacê debaixo do placar....por vezes, saí do palestra com a viseira torta....

Forza Verde disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Forza Verde disse...

Depois reclamam de serem a eterna piada pronta.

http://migre.me/8wKvb

Gui disse...

Barneschi, esses seus textos merecem um livro.. me arrepiei todo aqui.. que saudade do lanche de pernil da Mazé!!!

Palmeirense Capixaba disse...

Por morar em vitoria/es só pude ir 1 unica vez no nosso Palestra, mas foi inesquecivel.
Quando cheguei estava até meio q assustado, pois não sabia como me comportar o q fazer direito, era a primeira vez, um amigo que foi comigo q foi falando como funcionava, onde era o local dos cornetas e o local dos que apoiam até o final do jogo, ficamos no meio da MV e a festa foi incrivel, naquele dia em que o safado do Diego Souza fez aquele gol antologico do meio de campo...nunca esquecerei como foi estar perto da minha segunda familia

ULTRAS LAZIO 1900 disse...

BOAS LEMBRANÇAS, BONS TEMPOS QUE INFELIZMENTE NÃO VOLTAM MAIS!

NAPOLITANO MACONHEIRO DI MERDA
NAPOLI, CITTÀ DI MERDA, LA FOGNA D'ITALIA
CURVA NORD LAZIO 1900 - IL PRIMO DELLA CAPITALE
SEMPRE AL TUO FIANCO

ULTRAS LAZIO 1900 disse...

NAPOLI : PICCOLA TIFOSERIA PARTENOPEA DI MERDA. ODIO NAPOLI
CURVA NORD - SSLAZIO

Zoinho disse...

Fora os auto falantes, que era parecidos com os dos vendedores de pamonha, cornetas brancas. QUe depois foram substituidas por caixas de som de salas de antigamente !!!

Velho Palestra que saudades !!

Zoinho disse...

Fora os auto falantes, que era parecidos com os dos vendedores de pamonha, cornetas brancas. QUe depois foram substituidas por caixas de som de salas de antigamente !!!

Velho Palestra que saudades !!

Anônimo disse...

Barneschi,esse ultra da Lazio é uma senhora mala,agente falando do Palestra ele vem com esse ódio gratuito contra o Napoli,"maconheiro di Merda" haaahhahahahaa

Luigi

Anônimo disse...

Saudades da decadência do palestra,os grandes palcos do futebol brasileiro estão sumindo além do Parque,o Maraca,Olímpico,etc...da-lhe padrão Fifa,vai virar tudo teatro

Luiz Fernando

Danilo Cruz Manga disse...

Imagem linda do Palestra, com a fumaça esverdecendo a cada sopro de vento.. Emocionante post!

Leonardo disse...

Bons tempos, bons tempos.

vitor disse...

responderam pelo luigi aí em cima...foi mto educado, kkkkkkk.

no mais:

"Calestra no Padeira, NÃO!"

CASSELLl disse...

Lazista desgraçado, quero ve-lo por aqui depois da surra que tomara, facista de merda!

ULTRAS LAZIO 1900 disse...

ahahahah napolitano = mafioso, camorrista, sporcato,
FORZA LAZIO

Anônimo disse...

Com certeza este Luigi é outro!

Anônimo disse...

Caiu uma lágrima agora. Puta merda.

Forza Verde disse...

Excelente texto. Recomendável e INDISPENSÁVEL a leitura à todos os palmeirenses.

http://migre.me/8yoeA

Anônimo disse...

Nao sei se nostalgia é bom ou ruim, mas qdo se trata do palmeiras é muito bom, pois o presente e o futuro nem DEUS CONSEGUE...