01 julho 2013

Turiassu, 1840 (18)

















*por André Roxa de Souza

Domingo, 14h.

O caminho é sempre o mesmo... Qualquer onibus até o Metrô. Lá, cada vagão é uma conta de quantas camisetas verdes passam no sentido da Barra Funda! Entro no último vagão. Os coxinhas do Metrô vão me mandar para lá uma hora ou outra, então já me adianto e vou pro lugar de torcedor.

Estação por estação e o ritual é o mesmo: o trem para, abre as portas, coloco a cabeça para fora, olho quantas camisetas verdes entram, procuro bambis e gambás para olhar feio, volto para dentro, fico de pé até a próxima estação.

Chego na Barra Funda! Quintal de casa! O fluxo de palmeirenses já é enorme. “Caralho, será que é tarde?”. Desço a escada rolante e escuto o primeiro “Quer ingresso?” do dia. “Cambista filho da puta”, penso comigo.

A sequência é sempre a mesma: cambista (o filho da puta), uma barraca de doces, uma barraca de churrasco, tiazinha vendendo bebida (incluindo aquele vinho de 3 reais), mais bandeiras e camisetas falsas. 

Chego perto do West Plaza e vem a decisão mais dificil da minha vida: “Tá em cima da hora... corro, vou pela Matarazzo e entro mais fácil, ou sigo no sentido Turiassu, tomo uma cerveja e entro por lá mesmo?” Corro e vou sentido Turiassu, ainda dá pra entrar a tempo!

Chego na Turiassu e lembro porque sempre faço a escolha de entrar por lá! Palmeirenses de todos os tipos, idades, cores...

A melhor cena que eu tenho de toda minha vida de estádio é virar a Turiassu, e ver aquele mar verde e branco. Gente falando mal da diretoria, gente lembrando outros jogos na nossa cancha, crianças vivendo o espirito do futebol. Gente bebendo, gente confraternizando, gente que está ali e não se conhece...

Foi na Turiassu que conheci alguns dos meus melhores amigos. Foi na Turiassu que eu vivi as melhores histórias da minha vida. E foi na Turiassu que eu aprendi que quem vê o jogo pela televisão nunca vai viver o futebol, vai ser um mero espectador!

Cabe a nós, verdadeiros torcedores, lembrar que, por maior que seja a Arena, o espirito do palmeirense está na Turiassu, em cada bar, em cada sanduíche de pernil (in memorian; maldito Kassab), em cada palmeirense que ali está...

A Turiassu vive!

###

*texto do André Roxa de Souza

*A foto que ilustra o post não é das melhores e está em baixa resolução, mas foi a única que eu encontrei. Portanto, caso alguém tenha uma imagem melhor fazendo referência à estação Palmeiras Barra Funda, peço que me envie e eu faço a troca.

14 comentários:

Pamella Laham disse...

Sensacional

Felipe Teodoro da Silva disse...

Barneschi, o jogo contra ABC será mesmo no Pacaembu (cemitério de gambá)?

Barneschi disse...

Sim, Pacaembu, sexta (12/07), 21h.

Raul Martins Dias disse...

Essa sensação de descer na estação e ver aquele mar de camisas verdes é foda mesmo. E, perto do nosso estádio, o clima era mais foda ainda, TUDO naquela região remete ao Palmeiras. Sinto muita falta daquele lugar, espero poder voltar logo.

Anônimo disse...

Boa noite a todos, esta sensação que foi descrita por André é apenas uma das trezentas oportunidades que vivenciei, junto com meu Pai que já não esta entre nós, em uma época que o Palmeiras produzia assuntos mais agradáveis como saber de quanto ganharíamos, e a que títulos estaríamos na próxima final, enfim um grupo de pessoas sem alma, sem vergonha, sem caráter, sem competência e honestidade, esta transformando o legitimo e autentico encontro de verdes paixões, em fatos que se repetem sem que possamos tomar uma única atitude, a de repudio, aos vagabundos que estão tentando destruir o clube que tem um espaço gigantesco em minha vida, que relaciona momentos importantes nas mais significativas alegrias, que um ser humano normal possa ter, a de torcer pelo Palmeiras de forma apaixonada em pleno Palestra Itália, com suas arquibancadas marcadas pelo tempo , pelos títulos, pelos gritos, pelos cantos, enfim , torcer como se deve, de forma espontânea, sem os afeminados conceitos do politicamente correto, onde quero xingar meus inimigos, incentivar o time verde e branco que sempre historicamente cadenciou o jogo transformando a partida em um espetáculo, que fica a cada lance registrado em nossas retinas, pois a memoria de um torcedor nunca sera destorcida pela mídia, que se sabe o quanto e predatória ,porque somos PALMEIRAS !
Claudio Longo!

Raoni Machado disse...

Nao grita gol antes Barneschi, vai que esses filhos da puta mudan o local do jogo.
Vai pra prudente? Vai de carro ou van?

Justi disse...

Saudades...

Conrado disse...

Um pouquinho fora da pauta, mas só confirmando a tendência de pensamento desse palhaço:

http://br.tv.yahoo.com/blogs/tv-esporte/tiago-leifert-cita-eua-como-modelo-para-manifesta%C3%A7%C3%B5es-153626902.html

Pra ele, rua é lugar de ambulância, de polícia, povo é confinadinho no seu lugar, e torcedor, aliás, 'espectador', no sofá.

Felipe Teodoro da Silva disse...

Valeu Barneschi,

Certeza que eu só vou conseguir nos jogos do Palmeiras de Julho em casa, porque to estudando pro ENEM e trabalho é foda também.

Com relação ao ambiente citado só consigo descreve-lo como mágico, não podemos perder esse ambiente. Porque eu era palmeirense antes de ir no Palestra, mas depois de ir aquele ambiente mágico eu me apaixonei e qualquer criança se apaixonaria precisamos dos jovens la não em frente a TV, vendo o Messi jogar somente.

Felipe Teodoro da Silva disse...

Conrado,

Desliga o pensamento desse idi ota que me fez acreditar que era um ótimo apresentador, pois no começo (quando necessitava crescer dentro da Globo!) se fez de torcedor, lembro muito bem era um apresentador para os torcedores, mas assim que cresceu dentro daquela Rede Gambalistica mostrou a que veio com inúmeros insultos ao torcedor e ao futebol

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...

essa estação combina com o clube mesmo né...

Eder disse...

Esta atmosfera que me fez viciar em estádio, em Palmeiras... Minha namorada não consegue entender pq eu vou pro estádio as 13h se o jogo é somente as 16h.

cristiano disse...

PALMEIRAS MINHA VIDA E VOCE!!!