05 maio 2008

Os verdadeiros inimigos

São tantos os nossos inimigos que não temos descanso nem para comemorar um título. Depois do mal explicado episódio do gás no vestiário, enfrentamos agora os incidentes da final. Não há sossego. Não há comemoração em paz.

Desta feita, nos eventos ocorridos durante e depois do jogo final, nossos inimigos são bem conhecidos e declarados. Não há vídeos suspeitos, declarações controversas ou acusações infundadas. Há, isso sim, inimigos bem concretos, de corpo presente e com objetivos bastante explícitos.

Para início de conversa, temos o 2º Batalhão de Choque da Polícia Militar do Estado de São Paulo, órgão responsável pela ‘segurança’ (sim, segurança!) das praças esportivas desta capital.

A PM deve responder diretamente, ao menos na ação desastrada e desastrosa, por tudo o que ocorreu nas arquibancadas do estádio Palestra Itália. Afirmo isso categoricamente, pois presenciei tudo a uma distância não superior a 10 metros. E é este o confronto que determina os acontecimentos externos, pós-jogo.

O que ocorreu tem a PM como parte executora, mas não como principal interessada. Esta posição pode muito bem ser atribuída ao promotor público Paulo Castilho, sucessor à altura do hoje deputado estadual Fernando Capez.

Castilho, como se sabe, fez o possível e o impossível para que o Palmeiras não recebesse o SPFW em sua casa, o estádio Palestra Itália, no segundo jogo da semifinal do Paulista.

Mesmo sem ter nada a ver com a história, o promotor bateu de frente com os laudos da PM e com as posições assumidas pela SEP e, posteriormente, pela FPF. Houve, como um certo jornaleco esportivo, quem desse espaço para o cidadão, que sustentava a tese de que o Palestra não teria condições de receber partidas ditas importantes.

(Triste o país que dá tamanha notoriedade às opiniões compromissadas de quem se esconde atrás do título de doutor.)

Embora desconheça a preferência clubística do referido defensor da lei, torno a lembrar que ele foi visto no saguão do Jd. Leonor, no primeiro jogo da semifinal, acompanhado de amigos que carregavam sacolas de compras com produtos da loja oficial do SPFW. No caso, é a mesma agremiação que tanto esforço emprega contra a nossa casa.

Neste Paulistão-2008, Castilho é figura carimbada à beira do gramado do nosso estádio. Não parece ter muito a fazer, mas fica por lá, entre desocupados e bajuladores. Já foi visto também, ao menos duas vezes, na arquibancada.

Esteve presente, uma vez mais, durante os 90 minutos desta tarde de domingo. Entre um número ainda maior de oportunistas, demonstrava enorme preocupação com o comportamento da torcida. De terno, acompanhado de figuras misteriosas, Castilho não prestava atenção ao jogo, mas parecia muito afeito a dar palpites no trabalho do comando do policiamento, à beira do gramado.

É certo que se sentiu incomodado pela ‘molecagem’ da torcida Mancha Verde, que conseguiu burlar a fiscalização da PM e entrou no estádio com alguns pedaços de faixa para compor, em um painel de torcedores, o seu nome. Bem diante dos olhos do defensor da lei, a organizada mandou o seu recado: “MANCHA VERDE”, com uma letra nas mãos de cada pessoa.

No campo, houve um policial a aplaudir, com ironia. Castilho, ao que parece, reagiu de maneira diversa, não muito cordial.

O que se viu durante grande parte do primeiro tempo foi uma verdadeira caçada, com policiais espancando torcedores por qualquer motivo – ou por nenhum.

“Está com boné da Mancha?”
Então apanha, fica sem o boné e vai preso!

“Camisa da Mancha?”Apanha, sai arrastado e vai pra fora do estádio!

“Era um dos que seguravam o nome da torcida?”
Sai arrastado, humilhado e, no caminho, ainda toma uma cotovelada na cara! Depois da ‘salinha’? Difícil prever.

Eu falo sobre o que aconteceu bem diante dos meus olhos. E digo que, sem qualquer critério lógico, os PMs começaram a subir e, feito cães farejadores, procurar suspeitos. Além de espancados, os torcedores ainda eram roubados, como de costume.

“Vagabundo tá com a cara pintada?”
Teje preso, filho da puta!

Um deles saiu arrastado, puxado pela perna, bem à nossa frente. Um, dois, três, quatro policiais a arrastar o cidadão. Tudo o que o cara queria era colocar o tênis e sair de pé. Não deixaram. Quando conseguiu se levantar, veio um dos coxinhas, mais alterado, e meteu-lhe uma cotovelada na cara. Sem dó, com raiva incontida.

Junto com seus colegas, desceu a escadaria sob cuspes e xingamentos. E só fez mostrar a insígnia do Choque no seu uniforme, como que em sinal de intimidação. É pena, mas eu não estava com a máquina em mãos e não pude filmar todo o ocorrido.

Assim transcorreu o primeiro tempo. Muitos presos, alguns expulsos do estádio e agressões a torto e a direito.

Do meu lugar, na grade, é possível observar a porta da ‘salinha’ da PM. E eu garanto que os torcedores já entravam ali tomando porrada, sem que tivessem representado qualquer ameaça ao público.

Veio o intervalo e o clima prosseguiu tenso. Era possível notar a expressão de cada policial ali presente. Não éramos tratados como torcedores, mas como bandidos. Pior ainda, como inimigos. O olhar de cada um deles era inconfundível: transmitia ódio.

Ao que parece, o rancor da PM aumentava na mesma progressão da festa que já tinha início.

Confesso não ter ficado atento às reações do senhor doutor Paulo Castilho, mas ele continuou ali, atrás do gol, próximo à Mancha, a observar tudo o que acontecia na arquibancada.

Eis então que chegamos ao auge da canalhice da Polícia Militar, na metade do segundo tempo.

Já com o título assegurado, apareceram sinalizadores na Mancha, os mesmos do início do jogo. Era o momento de festejar em grande estilo.

Foi a senha para que um grupo de 20 policiais, os mesmos cães farejadores da etapa inicial, subisse em direção à arquibancada. Desta vez, o objetivo era outro. Diante de uma multidão espremida, os coxinhas não tiveram a menor dúvida: começaram a descer porrada em quem estivesse pela frente.

Havia ali a torcida de um só time, composta por elementos organizados, mas não só. Havia famílias, pais, mães, crianças, os ditos “torcedores comuns”. Gente de todo tipo. A PM não fez distinção. O pau comeu. Abriu-se um clarão, pois o povo não está disposto a enfrentar as bestas de farda e seus cassetetes.

Restou a Mancha, o alvo da ação descontrolada. O resto é imagem pasteurizada das emissoras de TV. A PM acabou com a festa. Abriu um buraco na arquibancada. Fez crianças deixarem o estádio chorando. Esmagou gente que nada tinha a ver com aquilo, a não ser o fato de contemplarem aquela festa grandiosa.

Tão intensas foram a correria e a pressão que a massa fez ceder a grade da jaula, 20 metros adiante. Cimento em pedaços, ferro retorcido e o povo em pânico.

Porra, é preciso ser algum doutor honoris causa em segurança pública para saber que não se entra dando porrada no meio de uma multidão?


Na base do confronto, mas especialmente com o bom senso que deveria existir nos órgãos competentes, coube à Mancha colocar um pouco de ordem nos ensandecidos homens do Choque. Acuados, tiveram de pedir seguro às lideranças da organizada. Diante da revolta, era a única maneira de controlar a massa.

O grupo de coxinhas teve de deixar a arquibancada, mas então sob a fúria da multidão: "Ei, polícia, vai tomar no cu!”. Ressalto que o grito partiu não da Mancha, mas do dito “torcedor comum”.

Eles desceram, mas deixaram o recado: “Vai ter volta lá fora”.

E teve, em proporções inimagináveis. Sob o pretexto de conter uma tentativa de invasão pelo portão principal, os homens do Choque transformaram a Turiassu em uma praça de guerra. Sem a cobertura da mídia, que tinha muito mais o que fazer, e sem a torcida organizada, que fazia a festa lá dentro, cumpriram o prometido.

Segundo testemunhas, desceram a porrada em todo tipo de gente. Senhoras de idade, crianças, pais de família, mulheres, idosos. Ninguém ficou ileso. Bateram em quem nada tinha a ver com o ocorrido lá dentro, até porque estávamos ainda todos na arquibancada a comemorar o título.


Lá fora, o Choque armou uma praça de guerra contra torcedores que apenas comemoravam o título, empurrados pelo carro de som da Mancha, em frente à sede da torcida organizada.

Eu não posso descrever a batalha do lado externo, pois só o que ouvi foram as bombas e tiros da PM. Um barulho que conseguia ofuscar toda a festa no gramado, pois alto e ininterrupto.

Quem estava do lado externo garante que a truculência do Choque não teve qualquer explicação razoável, a não ser o claro propósito de, conforme prometido na arquibancada, dar o troco nos torcedores organizados. Acontece que os supostos "marginais" estavam do lado de dentro do estádio e não fora.

Há, no entanto, uma conseqüência bem pontual para
a misteriosa briga do lado externo. Toda a batalha campal (contra quem?) interessa apenas e tão somente para gerar argumentos prontamente explorados pelo promotor público Paulo Castilho, o homem que passou grande parte do segundo tempo recolhendo objetos arremessados contra o gramado pela multidão enfurecida.

E assim Castilho se promoveu uma vez mais. Com apoio de todo o comando do policiamento, em uma situação que deveria, se vivêssemos em um país sério, ser investigada a fundo.

Quase uma hora e meia depois do jogo, tive acesso à rua Turiassu. Cenário de guerra, de batalha campal. Pedras, paus, destruição. Carros quebrados. E tudo fechado. Bares, sede da Mancha, todos os espaços de convivência. Carro de som cercado pelos homens do Choque, assim como a sede da organizada.


Vejam: estava programada uma festa para aquele local.

A PM fez a sua parte: acabou com a comemoração. Dispersou a multidão que queria apenas festejar.

Castilho, o promotor, veio a público dizer que "o Palestra Itália não pode receber jogos importantes". E, claro, declarou que vai lutar pela extinção da torcida Mancha Verde, a mesma que, em tese, fora proibida por ele mesmo de ir ao jogo.

Por preguiça ou má intenção, a imprensa comprou a história oficial. Para a FSP, o "barril de pólvora explodiu". A truculenta ação da PM na arquibancada foi assim retratada: "... uma confusão na arquibancada azul do estádio - onde parte da Mancha estava - precisou ser contida pelos policiais".

Peço que comparem esta versão com a que eu relato acima. E faço uma ressalva: eu sou jornalista também. E, ao contrário destes babacas que hoje compõem a mídia esportiva, acompanhei tudo a 10 metros de distância.


Minutos após o jogo, a voz fascista da rádio Jovem Pan, o senhor Flávio-não-vá-ao-estádio-Prado, exultava o fato de o palmeirense não poder comemorar o título paulista em frente ao seu estádio: "Esse tipo de festa só serve para atrair bandido, marginal e vagabundo".

Enquanto nós - e o Palestra - levamos a culpa, os verdadeiros bandidos parecem estar todos satisfeitos.

E assim segue a vida neste país de merda...

***

*Peço desculpas pelo texto sem capricho algum, mas eu precisava colocar isso tudo para fora. Como parte da minha festa foi estragada pela ação da PM e pelas declarações do promotor, o mínimo que eu posso fazer é compartilhar tudo o que vi e vivi lá dentro. Não é justo que eu deixe de assistir a preciosos minutos de uma final de campeonato por conta da atitude irresponsável de quem deveria exatamente garantir a ordem por lá. Mas foi o que aconteceu. Dessa forma, o texto acima expressa o meu inconformismo e o meu protesto, motivo pelo qual passa longe do nível que eu gostaria.

*Abaixo, um importante relato, de um amigo de arquibancada que tem o enorme defeito de não aceitar injustiças. Com a palavra, Luiz:

Grande Amigo Palestrino,

Conforme falamos ontem, vou relatar uma das coisas mais tristes que já fui vítima em minha vida, deixo aqui meus agradecimentos à preparada Polícia Militar do Estado de São Paulo, mais especificamente ao famoso Batalhão de Choque.

Ontem, era para ser um dia somente de festa, mas infelizmente aquela que menos precisava aparecer, resolveu roubar para si os holofotes que eram do Palmeiras e dos 30 mil Palmeirenses que estavam na região do Palestra Itália.

Já me assustei quando li pela manhã de ontem, o efetivo de 2000 homens (!!) destacado pela Polícia Militar do Estado de São Paulo para nos dar “segurança”, ora bolas, aonde os senhores responsáveis pelo Batalhão de Choque da PM vislumbraram (penso em premeditação) tamanha guerra? Na minha cabeça era um jogo de festa e de uma torcida só, no qual estariam presentes centenas ou milhares de mulheres, crianças e idosos. Fiquei com essa pulga atrás da orelha, mas não dei muita importância queria ver meu time campeão e fui pro jogo.

Chegando lá, a mesma coisa de sempre, flanelinhas exercendo seu “ofício” com a maior tranqüilidade, pois como todos sabem não há nenhuma irregularidade em um particular tomar para si o espaço público e ainda obter lucro.

Eu chamo isso de negligência da Polícia, enquanto alguns defenderão que isto ocorre em todos os lugares, já virou um costume e não é culpa exclusiva da Polícia. Mas minha tese é confirmada ao entrar no estádio e ser revistado com dois tapinhas na região do tórax, saio da revista com a sensação de que se estivesse armado, eu entraria no estádio da mesma forma. Ora, se eu poderia, quem me prova que ninguém entrou?

Na arquibancada, como sempre fiz, foquei única e exclusivamente o apoio a Sociedade Esportiva Palmeiras, contudo, não consegui me omitir diante do uso extrapolado da força e conseqüentemente, o notório abuso de poder praticado por um “animal” escondido atrás da farda da Polícia Militar do Estado de São Paulo, quando ao prender um cidadão cujo nem o nome sei, arrastou-o pela arquibancada e como se não bastasse, num ato covarde deu uma cotovelada no sujeito que estava imobilizado e não oferecia nenhuma resistência.

Fiquei com aquela imagem na cabeça, e não agüentei, resolvi exercer um direito que é meu, como cidadão de relatar o abuso que presenciei cometido pela autoridade policial. Desci da arquibancada e me dirigi ao local reservado aos policiais, procurei alguém com a patente maior e como não entendo muito disso, acabei falando com aquele que me pareceu superior aos demais.

A partir desse momento, entrei num inferno, fui imobilizado, tomei tapas aos montes, hostilizado como se bandido fosse. Dentro daquele inferno onde estes animais fardados se acomodam, fui humilhado como nunca fui na minha vida. Não sei precisar o tempo que fiquei retido naquele local, mas o que posso dizer, é que teve tempo suficiente para alguns, no melhor retrato ‘Tropa de Elite’, me denominarem como O Testemunha.

Pergunto: O que bandido faz com qualquer testemunha? Sim, é isso mesmo que você pensou que fizeram comigo. Fui ameaçado, humilhado e por fim, perdi aquilo que mais queria quando acordei neste domingo, ver o Palmeiras Campeão, porque me expulsaram do estádio, ou alguém acha que deixariam uma testemunha perto do problema. Senti na pele o que significa corporativismo, que neste caso caberia muito bem a palavra quadrilha.

Infelizmente, o que ocorreu comigo, foi só um dos inúmeros casos de abuso de poder cometido pela Polícia Militar do Estado de São Paulo, através do seu incompetente Batalhão de Choque, na tarde de ontem no Palestra, exemplo disso, é o campo de batalha que se tornaram as Ruas Turiassu e Caraíbas ao término do jogo, e posso afirmar lá do local de onde estava e do local onde me escondi que quem gerou tudo aquilo, foi mais uma vez a prepotência e a incapacidade (ou capacidade) de gerar (in) segurança do Batalhão de Choque.

Pra terminar, gostaria de dizer o que penso: Acho que enquanto a PM tratar o torcedor como gado, não podemos esperar melhora na atual situação, é aquela famosa história do “se colhe o que planta”. Ou se restringe a atuação da PM dentro dos estádios, ou que ela recicle o seu pessoal, pois as ações praticadas por esta corporação não condizem com as atuais pretensões do futebol nacional, no que tange a modernização e qualificação do público freqüentador do estádio. Quer tratar futebol como negócio, então o faça.

49 comentários:

Teo disse...

Vou contribuir com o relato do que eu vi, a segunda parte da patifaria, lá na Turiassu depois do jogo.

Desde o intervalo, eu já estava ansioso pra tomar uma gelada e comemorar o título com os amigos de sempre. Assim, não permaneci muito tempo no Palestra depois do final do jogo. Lembro-me do Denílson e do Della Monica falando ao microfone no gramado e acho que 05 mins após isso, eu fui pro meu reduto.

Subi as escadas de acesso à rua e estranhei, pois os portões laterais estavam abertos, mas o central não. Como fui pela escada central, tive que passar por baixo do corrimão e acessar a Turiassu, por esse portão mais lateral.

Nesse momento, tinha pouca gente saindo do estádio e MUITA gente na rua. Era tanta gente, que com a presença do carro de som, a multidão ficava bem próxima ao portão. Saí na mais perfeita normalidade, achando bacana a aglomeração, e com a impressão que em alguns minutos iria ficar pior, mas que, depois de um certo transtorno, TUDO SE ACOMODARIA como sempre.

Não presenciei em nenhum momento torcedores forçando o portão. E mais: também não senti em quem estava do lado de fora NENHUMA DISPOSIÇÃO EM ENTRAR NO ESTÁDIO. Parecia que todos já estavam esperando a galera de dentro vir pra festa. Andei 20 metros, abracei alguns amigos no Alviverde. Subi as escadas da L'osteria.

Acho que mais 05 ou 10 mins e a baixaria começou. Bombas, muitas delas, foram atiradas pra dispersar os torcedores. Essa parte, assisti de camarote. Durou uns 45 minutos, com a Polícia atacando, a torcida recuando e revidando. Chegou o reforço do 3o Batalhão. Balas de borracha, muitas também, foram disparadas. Truculência, desceram a borracha numa turma que entrou na pizzaria, e que quando saiu se deparou com os PMs. Ali, eu vi, tinha um casal de meia-idade, que apanhou por nada. Com o reforço, a PM montou um aparato bélico, marchando e batendo nos escudos, numa tentativa covarde e ultrapassada de intimidação.

A impressão que ficou pra mim é que a PM não queria mesmo a festa. E como pretexto, resolveu tirar a galera da frente do portão na base da pancadaria. Assim, de graça. E acho também, que mais 10 minutos, com muito mais gente já atingindo o lado de fora, teríamos presenciado uma tragédia sem precedentes.

Triste!

PS: vcs acham q a TTI vai acender sinalizadores na 4a? Qual será a atitude da PM?

Valmir disse...

Cara, eu assisti ao jogo pela Sportv e não entendia o que estava acontecendo no meio da torcida do Palmeiras.

Porra os caras estavam de boa, comemorando um título entalado na garganta, porque então iriam provocar confusão?

Ler o que vc escreveu não me surpreende, e agora eu fico aqui pensando que não ter ido ao estádio e levado a minha família foi uma "benção".


Não conheço o tal "Promotor" mas já escrevi que é óbvio que este cidadão, tem má vontade com o Palmeiras, por extensão à sua principal torcida a Mancha Verde.

O Capez quando começou com a perseguição às Organizadas, a princípio eu achei válido para dar uma "acalmada nos ânimos" porque a coisa parecia estar fora de controle.

Mas logo em seguida comecei a notar que havia um OUTRO INTERESSE em aparecer na mídia quase todos os dias.
Eu até comentei com alguns amigos:
-Daqui a pouco tempo o Capez vai virar "candidato" a algum cargo público.
NÃO DEU OUTRA.

Não conheço o Paulo Castilho mas me INCOMODA a persistência de um Promotor, que deveria a rigor preocupar-se com a violência de um modo geral, já que HÁ TANTO POR FAZER, semanalmente aparecer e de uma forma ou outra, atacar a Sociedade Esportiva Palmeiras.
Não podendo atacar a Instituição, ataca a torcida, estraga uma festa que estava tão bonita.

O resultado?

Não deve haver jogos importantes no Palestra Itália.

A quem interessa isso?

NÓS SABEMOS QUAL É O CLUBE MAIS SUJO, DESONESTO, PODRE não é?

A única forma de combater isso, passa pela DIRETORIA DO PALMEIRAS, que não deve se omitir neste caso.

Vou mais longe, a proposta de modernização do Palmeiras tem causado a este INIMIGO SUJO, uma grande inveja.

Inveja que está tirando eles dos HOLOFOTES DA IMPRENSA, coisa que para eles é quase como uma SENTENÇA DE MORTE.

Impressionante que inúmeros jogos foram realizados no Palestra Itália
e perdendo ou ganhando, NUNCA se ouviu ou viu nada igual.
Disputamos contra Flamengo, Cruzeiro, Grêmio, Vasco e nenhum deles reclamou do tratamento ou de ataque da torcida.

Só os MALDITOS DO JARDIM LEONOR, A SUB-RAÇA, COVARDE PORQUE ATACA PELAS COSTAS reclama e CRIA FATOS.
Até a reclamação do Diretorzinho do Sport, pra mim tem dedo BAMBI no meio.

Não só a Mancha, mas TODOS os torcedores do Palmeiras, tem que se unir e cobrar da Diretoria uma POSIÇÃO CLARA.

Chega de "deixar pra lá"
Acho que as pessoas que foram agredidas de forma COVARDE PELA TROPA DE CHOQUE, deveriam dar QUEIXA NA POLÍCIA contra agressões DESCABIDAS E COM FORÇA EXCESSIVA.

Repito, a Diretoria do Palmeiras precisa analisar as posições INOPORTUNAS de ditas "Autoridades" e caso seja comprovado o que TODOS NÓS JÁ VIMOS que é uma MÁ VONTADE em relação à S.E. Palmeiras, tome as devidas providências em relação a eles.

Pode ter certeza que há algo maior que o interesse público em tudo isso, tem gente muito interessada em jogar água no nosso chopp, o Palmeiras como em 92, passou a "INCOMODAR", porque até então, era fácil chutar cachorro morto.
Agora o cachorro não só não está morto, como MORDE certo?

É uma analogia que vem bem ao caso.

Abs e conte com o meu apoio no que puder.
É pequeno porque eu não tenho o PODER pelo qual as pessoas agem, mas ao menos tenho consciência limpa e sei agir com seriedade e honestidade.

Daniel disse...

essa narrativa toda é de assustar qq um, pq não mparte de uma só pessoa, mas de várias que estiveram no Parque. Algo precisa ser feito e eu queria saner se a nossa diretoria tem poder para tmar partido nessa situação. até porque no fim das contas, o prejudicado vai ser o palmeiras... como fica isso agora?


De resto:

È CAMPEÂO!!!!!!!!!

Leonel disse...

chocante isso tudo... precisamos avancar nisso

Ulisses disse...

Declaro que também presenciei as barbaridades aqui declaradas!! Sem por nem tirar, ESSA é a VERDADEIRA HISTÓRIA!

Vou relatar mais um fato, quando a "Guerra" ocorria do lado de fora eu estava dentro do estádio, em frente ao portão fechado da Turiassu. Ja havia passado uns 10 min enquanto eu aguardava a libetração para seguir rumo ao meu carro.

Nesse momento subiu um "cachorro fardado e racional" dispersando os que ali comigo estavam. Com cacete em mãos, batendo e empurrando todos escada a baixo e encurralando-nos nas beiradas da escada.

Pensei, num ato desesperado, em aproveitar de um problema que tenho na perna, comecei a mancar e pedi que não me empurrasse. Em vão, o mesmo "cão" ignorou o fato de um deficiente fisico (apenas por marcas, na verdade não sou) clamar por respeito. Me empurrou contra todos os outros torcedores, NA GRANDE MAIORIA SENHORES DE IDADE!

Imagino eu, se realmente tivesse debilidades para andar.

Eu vivi o inferno causado pela policia, muito obrigado PM por estragar uma festa guardada a 8 anos!!

Abraços aos palestrinos.

Rafinha JZT disse...

Nossa, lendo tudo isso eu fico chocado.
Estive no estádio, no setor visa, e até o momento da briga no 2º tempo (e da briga interna da torcida da ponte, que logo a PM aproveitou para "aliviar o stress" também), tudo parecia estar normal.

Já no 2º tempo a correria - causada pela polícia - no meio da torcida (onde estava a mancha, fazendo a festa mais linda que poderiamos esperar - "cantando e vibrando"), e o que vi foram pessoas desesperadas fugindo, e outros revidando.. mas o que mais me inconformou foi ver cenas de crianças e mulheres tomando cacetada como se fossem lixo (pois nem animais merecem). Vi inclusive um senhor de meia idade pular da arquibancada para o foço abaixo, devido ao desespero de, além de ter centenas de pessoas o pressionando contra a mureta, ainda tomar porrada de graça.

A palhaçada criada pela PM tomou conta dos holofotes, do rádio (alguém conseguiu ouvir algo sem falar pelos menos uns "comandante filho da puta"?) e da televisão. E mais uma vez as bixas e bambis desvairadas do SPFC ainda saem com um ar vitorioso. Afinal, o que eles querial - e tinham alguém pra comandar isso - de certa forma conseguiram; apagar o brilho da festa alvi-verde!

Pau no cú da sub-raça, da PM (tenho amigos que são PM e nãohesito em chamá-los também de sub-raça, pelo menos a maioria) e de todo esse complô criado contra times que não levam o brasão do SPFW!

Entretando, como brasileiro e esperançoso que sou, acredito na vitória da verdade. Embora nesse país não tenhamos fatos concretos para continuar acreditando nessa "miragem".

Forza Palestra disse...

Teo:
Seu relato é importante também. Fica aí mais um registro de toda a canalhice da PM. Como você bem colocou, eu tenho convicção disso: eles não queriam a nossa festa. E conseguiram. Quanto à TTI na próxima quarta, resta aguardar.

Valmir:
Toda e qualquer colaboração é essencial. E eu concordo que isso precisa ir além da simples revolta.

Forza Palestra disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Forza Palestra disse...

E eis que vi agora no jornaleco esportivo a seguinte notícia:

Promotor vai pedir a extinção da Mancha Alviverde
Paulo Castilho estava no Palestra quando ocorrem os tumultos de domingo
LANCEPRESS!

O promotor do Ministério Público de São Paulo, Paulo Castilho, ficou indignado com a cenas de violência durante e depois da decisão do Campeonato Paulista, entre Palmeiras e Ponte Preta, no último domingo, no Palestra Itália, jogo que deu o título do campeonato ao Verdão.

– Eu presenciei tudo com muito pesar. Sempre recomendei não ter o jogo aqui. Apesar do grandioso efetivo da segurança, não foi possível controlar os torcedores – afirmou Castilho após o duelo de domingo.

A ira do promotor é principalmente contra a Mancha Alviverde, principal uniformizada do Verdão. Durante o Paulistão, a facção já tinha sido proibida de entrar nos estádios após o conflito contra são-paulinos, em Ribeirão Preto, durante a primeira fase da competição.

– Eles estão a fim de uma guerra e não de torcer. Com base com o que eu vi nessa praça de guerra, algumas atitudes legais precisam ser tomadas – declarou Castilho.

– O meu projeto é reunir alguns elementos para o promotor da cidadania e pedir a extinção dessa torcida. Foi lamentável o que aconteceu. Eu, que estava no Jecrim, fiquei assustado. Imagina o pai que levou seu filho para o jogo – completou.

Segundo Castilho, nenhum torcedor foi preso por conta do tumulto após a partida, na rua Turiassu. Além disso, o promotor falou que oito policiais militares ficaram feridos nos confrontos com a torcida.



1. Oito PMs ficaram feridos? Porra, e quantos foram os torcedores comuns atingidos pela barbárie do Choque? Isso não entra na conta? E os prejuízos todos ao patrimônio público?

2. Notaram a expressão "praça de guerra"? E toda a premeditação do discurso? E aí, vamos pra cima dele? Por que não solicitarmos a extinção do promotor?

Rodnei soares t.t.i terror da porcada da fila eterna disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Forza Palestra disse...

Vou deixar um registro a mais aqui: dá até desânimo deletar os comentários bambis. Houve um tempo em que os bichas vinham aqui e escreviam as suas besteiras. Eram, claro, argumentações cretinas, mas dava para revidar e tudo mais. Os que vêm aqui de uns tempos para cá (ou pode ser um único, com vários pseudônimos) são de uma infantilidade chocante. Eu me sinto às vezes tendo o trabalho de deletar comentários de um moleque de 8 anos, daqueles que acabaram de escrever. Não é possível...

Anônimo disse...

Como uma pessoa pode ter tanto orgulho de cadeia. Rídiculo.
Aos que foram agredidos acho interessante vcs irem a corregedoria e lavrar um BO (principalmente se ainda tiverem ematomas)pq serão encaminhados ao IML para exame de corpo e delito. Sempre bom deixar tudo registrado, provas nunca são demais.
Posso esta falando besteira agora mas se todos fizerem isso talvez (qm sabe)a diretoria se mobiliza contra esses abusos de autoridade, se um falasse até poderia ser questionado a veracidade dos fatos mais 20, 30 ou mais não como questionar nada.

Danilo disse...

Particularmente acho que todos que viram ou sofreram alguma lesão devem ir à corregedoria e lavrar um BO para que mostre verdadeiramente onde começaram os fatos.
Aquela confusão no meio da mancha foi tão premeditada pela PM que quem estava no Visa viu eles subindo e descendo as escadas ao lado dos vidros que dividem os setores, por diversas vezes antes do ocorrido e era notório que estavam armando essa pancadaria. Vi inclusive um deles avisando a um segurança do Palmeiras que "cuidasse bem dos vidros, porque poderia ter confusão"...
Do resto é só lamentar que os fatos eram 'tudo o que a imprensa queria' pra interditar o estádio.
Danilo

Valmir disse...

Baseado nas declarações, faço meu comentário:

Palavras do Dr. Paulo Castilho:


– Eu presenciei tudo com muito pesar. Sempre recomendei não ter o jogo aqui.


Valmir:- Notem a expressão:- SEMPRE recomendei não ter jogos aqui.
Para o bom entendedor a palavra "SEMPRE" me faz crer em outra, na CONSTANTEMENTE é recomendado que não ocorram jogos no Palestra Itália.
Aí vamos mais longe ainda.
Se não devem ocorrer jogos no Palestra Itália, CERTAMENTE não deve acontecer SHOWS também.

Vamos analisar o seguinte:

Se a S.E.Palmeiras não pode mandar seus jogos em seu Estádio mesmo no caso de domingo que não era um clássico, mas um jogo de uma torcida só, ela terá que ALUGAR OUTRO.
Qual seria?

VOCÊS SABEM A RESPOSTA

SE não pode ocorrer eventos (Shows) no Palestra Itália, EM QUAL LOCAL ELES SERIAM REALIZADOS?

VOCÊS TAMBÉM SABEM A RESPOSTA.

Então para que o Palmeiras construira a Arena Palestra?
Ela será INTERDITADA mesmo que seja pavimentada com ouro.

PERCEBERAM como uma unica palavra tem uma abrangência e uma conotação que nos faz parar pra pensar?

Portanto repito: A DIRETORIA DO PALMEIRAS tem que tomar a frente da situação e EXIGIR em primeiro RESPEITO DAS AUTORIDADES, porque não somos bandidos.

Em segundo EXIGIR explicações e PROVAS reais, não em palavras de um e de outro, sejam estas pessoas Autoridades legalmente constituídas, pois estas podem errar também.

As autoridades, que são homens de carne e osso, podem cometer graves injustiças.
Quero crer na IDONEIDADE dos homens públicos, no seu valor em defender a LEI, e cuidar dos interesses PÚBLICOS que é para isso que eles são pagos pelos CONTRIBUINTES.

Apenas é o desejo das pessoas de bem, que as coisas sejam CLARA E OBJETIVAS, que uma Instituição como a S.E.Palmeiras, da qual sou um simples torcedor, seja respeitada e protegida em seus direitos CONSTITUCIONAIS, pois nenhum homem está acima da LEI.

Faça-se a VERDADEIRA JUSTIÇA, que se estamos errados nós temos a grandeza de PAGAR, mas que não sejam criados fatos que podem nos dar a DESCRENÇA de que as coisas não são feitas com LISURA.
Palavras como as ditas, nos dão uma interpretação preocupante.
Espero que esteja errado em analisar assim.

Pra encerrar, digo que as pessoas que sofreram abusos, se for o caso, devem mesmo fazer um BO e ir no IML fazer exame.
Se ficar só nas palavras, ganha o lado da força.
Vocês entendem o que eu quero dizer.

Agora o pessoal que tem acesso à Diretoria do Palmeiras, cobrem uma postura CLARA deles.

abs




Apesar do grandioso efetivo da segurança, não foi possível controlar os torcedores – afirmou Castilho após o duelo de domingo

Bruno D'Angelo disse...

Barneschi , como vai?

De tudo o que foi relatado aqui , a única coisa que não posso afirmar categoriacamente foram as coisas que aconteceram no setor azul. Posso dizer que , de longe , vimos que o que acontecia era um absurdo.Tudo bem! Se uma torcida está 'impedida' de entrar no estádio e fazem uma 'molecagem' - como vc mesmo classificou - era de se esperar uma represália da PM. Não concordo com a PM , mas era óbvio que aconteceria.
Agora , o grande absurdo ocorreu do lado de fora , bem na porta , como relatou o Teo , aqui na 1a postagem!
Foi exatamente tudo o que eu ví e viví!!! Eu estava quieto , tomando uma cerveja e tentando falar exatamente com vc. Como as 'linhas' de celulares estavam sobrecarregadas , resolvi dar um tempo na Caraíbas até que conseguisse telefonar , mas não houve tempo. Depois de ver muita gente correr , e sem entender nada , tomei um tiro de bala de borracha na perna. Minha sorte é que pegou de raspão. Mesmo assim , a cada passo , ainda dói. Não quero imaginar se pegasse em cheio , como na panturrilha do cara que corria na minha frente. Ví também uma criança apanhar sob o olhar aterrorizado do próprio pai.
Não vou relatar mais nada , pois já foi tudo muito bem feito por você e pelos outros que tiveram a mesma infeliz experiência.
Para encerrar , afirmo sem a menor dúvida : FOI TUDO ARMADO PELA PM E POR ESSE PROMOTORZINHO DE MERDA!!!!
Mas agüente , sr Paulo Castilho , pois se conseguir o que está prentendendo faz tempo , jogaremos no quintal da casa da sua mãe , mas JAMAIS no panetone!
O que vocês armaram domingo foi de uma irresponsabilidade imensa!

Mas no final de tudo , o que interessa mesmo é que somos CAMPEÕES!!

Abraços ,

Bruno D'Angelo

ClaudioYidaJr disse...

Todos os que vão contra ao que você escreveu aqui são aqueles que há tempos não pisam em um estádio. São aqueles que se trancafiam em casa ou nos "camarotes VIP" para ver o jogo e se acham donos da verdade.

Assistia à partida pela TV e assim que começou o quebra-pau deu para ver de quem era a culpa. Tudo premeditado. Muito bem premeditado, organizado e planejado, aliás. Trata-se de mais um promotorzinho de merda querendo arranjar eleitores.

A PM conseguiu transformar em guerra um cenário que não precisaria nem de polícia. Inês já era morta, a Ponte - pequeníssima - jamais iria fazer meio gol em vocês e o título já estava ganho. Mas o recado já tinha sido dado antes, na compra de ingressos. Atiçaram os ânimos para o jogo.

Apesar de rival, nessas horas é preciso união de todos, aquele papo que tivemos com o Galuppo. Resistir à agenda de destruição encabeçada por esses merdas que estão aí e sabemos muito bem quem é. E se os moleques inconseqüentes não têm maturidade para isso, eles que se matem até desaparecerem por completo.

Por fim, que papelão da direção bambi, não?

André disse...

Tá mais do que provado que foi um cenário armado pela PM e MP pra que ocorresse tudo isso.

Lamentável...

Deviam era ter visto a palhaçada que foi a venda de ingressos semana passada, prender cambistas, e não agredir torcedores que estavam ali FESTEJANDO e não querendo arrumar confusão.

filipe disse...

Resistir, Palestrino. O Japonês, Porta-Voz da Nação, bem o diz.

Desde 1935 sofremos com isso.
Meu Vô sofreu. Minha Vó sofreu.
Meu Pai. E nós, agora.
A bola da vez é o campeão, que faria a FESTA em casa.
Ah, mas festa é coisa que essa corja alienada não sabe, nunca soube, fazer.

Bem disse o camarada acima: TIRAR O HOLOFOTE DA BAMBIZADA É SENTENCIAR A MORTE A ELA.
Claro. A vitrine precisa de luz, da mídia lambendo-lhe o tapa-sexo escroto, aquela calcinha nojenta e sifilítica.

É por essas que devemos levar a idéia adiante.
Chega dessa porra.
Há 73 anos é essa merda.
Já até ressucitamos essa merda.
CHEGA!!!

Passou da hora de descambar essa cambada.

Deixo aqui um relato particular. Quando contei o relatado aqui, pelo Barneschi, para um familiar, que viveu wadihelu no Corinthians, ele falou: "Porra, era exatamente assim que agia o wadihelu".
(esclarecendo: wadihelu foi "amigo" íntimo de filhos da puta como laudonatel; isso já deixa claro o que se quer dizer aqui. A resistência nasceu disso)

Pois é, meus caros. A agenda política de destruição não começou ontem, nem anteontem.
Mas tem que acabar PRA AMANHÃ!

O Palestrino me conhece, e não é como Corinthiano que presto aqui solidariedade à instituição.
É como CIDADÃO PAULISTANO E BRASILEIRO.
Temeroso com o futuro dessa FESTA que era pra ser o futebol.
E que destrõem, e pior: culpam a torcida. As organizadas, em particular.
Temerosa atitude dessa agenda de destruição, pois.

É muito fácil desmascará-los.

Carlos Pingüim disse...

Acho que essa confusão toda não é só por causa dos holofotes da mídia. Ano passado, os 2 jogos das finais foram no Panetone, mesmo com os bambis não tendo se classificado.

Este ano, graças à pressão do Palmeiras para fazer valer seus direitos, não teve jogo das finais lá. E só um jogo das semis foi no Panetone.

Quanto eles não perderam de receita com isso? A arrecadação do jogo final foi de mais de 1,4 milhão de reais. Eles devem estar se roendo de inveja.

Precisamos organizar nossa resistência contra as armações sujas dos bambis e seus instrumentozinhos desprezíveis, como essa merda desse promotorzinho, que só faz chafurdar na lama o nome de uma instituição séria que é o Ministério Público.

A RESISTÊNCIA não é uma questão só palmeirense não (embora eu sinta o Palmeiras como alvo preferencial dos ataques covardes da sub-raça), mas também de corinthianos e santistas.

Precisamos desmascarar estes filhos da puta!

t.t.i terror dos róseos disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...

Deleta esse bambi daqui!
Bambi e bandido... se é cadeia , é lá que vc tem que ficar trancado filho de uma puta!

Bruno D'Angelo

Daniele Moraes disse...

Ro,
Deixo meu comentário solidário aos que sofreram agressões e foram vítimas do despreparo e da truculência da Polícia Militar do Estado de São Paulo. Certamente é preciso frequentar estádios para saber exatamente como o torcedor, organizado e comum, é tratado. Quem comparece aos jogos no campo, o faz em detrimento da organização do evento e da ação policial. O atrulhamento e o trabalho da polícia no estádio devem acontecer no sentido de manter a ordem pública e garantir SEGURANÇA a NÓS, torcedores. Mas eles estão mal preparados, encarnando um espírito de vingança contra o cidadão e, especialmente, contra o torcedor organizado.
Por isso, sou a favor da profissionalização do esporte, da melhoria das condições dos estádios e da participação massiva do "torcedor comum". Embora isso tb nao agrade parte dos torcedores organizados, é, a meu ver, a única maneira de civilizar a questão e impedir que sejamos expectadores ou vítimas de situações como as descritas aqui. Pode ser que isso realmente tire um pouco do romantismo do jogo, mas oferece ganhos compensadores. Enquanto o cidadão comum não ocupar o espaço que tb é seu por direito, estaremos sujeitos a todo e qualquer abuso - de bandidos e de policiais.
Um beijo grande!
Dani

OBS: Só homens comentam aqui, é?

Anônimo disse...

Antes de tudo peço perdão pelo o meu portugues, infelizmente sou de classe baixa e o tempo que tinha para estudar era o mesmo que tinha para trabalhar !!!

vou dizer aqui o que aconteceu comigo no dia 4 de maio de 2008 na rua turiassu.

infelizmente minha renda financeira mensal não me permite pagar R$200,00 em um ingresso, então decidir ir até a turiassu assistir o jogo nos bares e comemorar com todos os palmeirenses que ali estvam, logo na minha chegada na estação de metro Palmeiras-Barrafunda, achei muito llindo o clima, pude ver pais e mães com seus filhos,adolecentes com seus avós etc. A caminho do Palestra Italia, chegando embaixo daquele viaduto perto do shopping west plaza na francisco matarazo comecei a ver a cavalaria, viaturas e muita festa de torcedores... até ai tranquilo ! já na rua turiassu havia uma fila de policiais impedindo as pessoas de passar era necessario entrar em uma fila, ali ja se via no rosto das pessoas um certo medo de passar e levar borrachadas etc... mas que eu saiba graças a DEUS foi apenas o medo mesmo ... chegando na sede da Mancha AlviVerde mesmo sem conhecer ngm fui muito bem recebido e convidado a assistir o jogo pela tv com eles, então fui, intervalo sai de lá ja havia muita gente comemorando, uma festa maravilhosa, estava lindo de se ver que pessoas que como eu passaram a noite na fila das bilheterias com fome, sede, sono e frio e não conseguiram combrar o seus ingressos estavam ali felizes da vida como eu ! termina o jogo a festa fica mais linda ainda !!! naquele momento eramos campeões !!!
pessoas se abraçavam como irmãos e aquilo parecia uma gigantesca familia da qual estava fazendo parte mesmo sem conhecer ngm !!!
juro por tudo que a de mais sagrado !!! estava sendo o momento mais feliz da minha vida !!!

mas derrepente atras de mim abre um portão e estou levando borrachada !!! estou apanhando sem saber ao menos o pq ! óbvio fui em direção o metro ! o que acontece ? indo em bora me acertaram com uma bala de borracha na perna !!! não sei até agora que mal eu fiz em comemorar quando meu time estava sendo campeão ... fui até a sta casa no bairro da sta cecilia mancando de metro !!! de la vim embora e fui ver na tv qual era o motivo de td aquilo ... Quando deparo com a mentira mais absurda, tentaram invadir o palestra ! eu estava decosta para o portão, e todos os que estavão na rua estavam comemorando o titulo embalado ao som do trio eletrico !!!



POR FAVOR SENHOR PAULO CASTILHO E OS DEMAIS RESPONSSAVEIS, EU GOSTARIA DE SABER SE É CRIME EU ME DIVERTIR E TAMBÉM EM QUAL PARTE DA LEI DIZ QUE A PESSOA QUE ESTA FELIZ COMEMORANDO A VITORIA DE SEU TIME É "VAGABUNDO, BANDIDOS ETC... ?



Gostaria tbm de agradecer o meu desemprego a vocês, trabalho como offcieboy e não posso ficar sem andar !

Forza Palestra disse...

Amigo palestrino do último comentário,

É absolutamente revoltante tomar conhecimento deste seu caso e saber que a versão que chega ao conhecimento da opinião pública é totalmente diferente.

Obrigado pela sua contribuição.

Fico solidário a tudo o que você sofreu. E peço que nunca desista de acompanhar o Palmeiras.

Peço a você que mande um e-mail para forza.palestra@yahoo.com.br

Ainda que também seja vítima de toda essa canalhice, faço questão de compensar o seu sofrimento com a sua presença no próximo jogo do Palmeiras aqui, no caso o do dia 18/05, domingo, contra o Inter/RS.

Abraços

Alvaro disse...

Será que ninguém filmou o início da confusão? Se surgir um vídeo mostrando que a polícia realmente começou a dar borrachada de graça, apenas para dispersar, tenho certeza (se não certeza, esperança) que conseguiríamos fazer com que isso chegasse à grande mídia...

Valmir disse...

Rapaziada isso que o Alvaro disse acima é verdade.
Porra, ninguém tem um vídeo do que aconteceu?
Não é possível que ninguém filmou isso com um celular ou uma camera.
Eu vi uma porrada de flash's pipocando no Estádio inteiro.
E sei que a galera da Mancha também não ia deixar de gravar a festa.

Já falei lá em cima, se a gente tiver PROVAS a coisa muda de figura.
Xingar o "Promotor" não adianta, manerem na língua porque isso só piora as coisas, nós estaremos dando "armas" aos caras, para que eles reforcem a posição deles.

Se a gente perder a razão, JUSTIFICAMOS o que eles dizem, portanto PEGA LEVE!
Pode-se falar um monte, mas tem formas de dizer.

abs

Valmir disse...

Retirado do Fórum da Mancha sobre o episódio.
O texto é da Diretoria da Mancha:

"Só que dessa vez a MANCHA não vai ficar quieta não, chega de sermos bode expiatorio. Tudo foi gravado, temos depoimentos e imagens, temos advogados que hoje pela manha já entraram com as ações cabíveis"


BLZ! Espero que a luta que começou prossiga.
Espero que a Diretoria do Palmeiras apóie e mostre repúdio a quererem fazer da NOSSA CASA, palanque de politiqueiros.

CURRAL DAS ORCAS disse...

Desculpa ae estragar a nossa comemoração com gente menor,mas olha ae que saiu na folha online

''Os jogadores do time paraguaio Sportivo Luqueño receberam incentivo financeiro de pessoas próximas ao São Paulo para vencer o Audax Italiano, do Chile, em 23 de abril, pelo Grupo 7 da Taça Libertadores, revelou o presidente do time paraguaio, Fernando Ramón González.

Mesmo eliminado, o Luqueño goleou o Audax por 4 a 1, em Luque. Essa vitória favoreceu o São Paulo que, nesse mesmo dia, venceu o Atlético Nacional, da Colômbia, por 1 a 0.

Segundo o González, foi feita uma oferta de US$ 50 mil aos jogadores do time, que teve como intermediário o brasileiro Charles Silva, que joga no Luqueño.

"O que mais dói é que não nos falaram [para a diretoria]", enfatizou o presidente do time paraguaio. "Nós [dirigentes] nos demos conta no dia da partida, quando vimos que eles [jogadores] estavam felizes e com dólares nas mãos."

"A verdade é que nós, os dirigentes, não nos metemos nisso. O que não gostamos é que tenham nos avisado só depois. Não confiaram em nós, como se fossemos tirar o dinheiro deles", continuou.

González afirmou ainda que o incentivo "não é ruim, não é como o suborno, que se houvesse ocorrido teria conseqüências graves".

O São Paulo nesta quarta-feira o Nacional, do Uruguai, no Morumbi, no jogo de volta das oitavas-de-final da Libertadores. Na partida de ida, em Montevidéu, os times empataram sem gols.''


Folha Online

Henrique disse...

Foi muito triste, assim como muitos fiquei do lado de fora (enquanto Palmeirense promotor nem assistia ao jogo) e nâo houve tentativa nenhuma de invasâo (como o Promotorzinho e a ''midia'' disseram) ao menos somos MUITOS, pois sou da Mancha 4 Anos e ja presenciei muita coisa, onde a Mancha sempre leva a culpa, eu sou uma pessoa do bem, trabalho, sou formado, mas como sou de Organizada pra muitos sou bandido, marginal, trombadinha, é foda.
A Mancha se pronunciou nâo vai ser uzada como Bode Espiatorio em mais um caso e estarei a disposição pra relatar aquilo oque presenciei assim como voce e outros muitos Torcedores viram no Domingo.

Palmeiras Campeâo
SOU EU SOU EU SOU EU DA MANCHA VERDE SOU EU- ATÉ MORRER

Valmir disse...

Já que o assunto mudou um pouco, vou dizer que os BAMBIS fizeram uma FASCINANTE CONTRATAÇÃO!

Contrataram a Ellen Rocche!!
É sério!!!
Dizem que o "Rick" quando topou com a gata, virou a cara e VOMITOU!!!

HUAHUAHUAHUAHUAHAUHAUA

Para manter relações amistosas com esse bando de FDP, podemos sugerir uma troca. Ellen Rocche X Makelele

No Palestra era teria futuro, no Panetone NÃO por motivos óbvios.
Já o Makelele teria TUDO A VER!!!!


PS:- Manda ele voltar do Grêmio JÁ.
Amanhã eu me encarrego da troca com os nossos Co-irmãos BASTARDOS!!!
Só que eu só entrego ela daqui um ou dois meses.
Test Drive, sabe como é.......


abs

[SEP] Valmir disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
[SEP] Valmir disse...

Ah, dei uma melhorada no perfil.
Barneschi pode excluir as msgs cara!

Helder Oldani disse...

isso é uma vergonha velho

luigi sep 1914 disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
luigi sep 1914 apanhei da independente disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
luigi sep 1914 apanhei da independente disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Rodollfo 'SppyX' disse...

É triste....

Barnes (posso chamar assim? Hehe), o que deve acontecer é que no meio de qualquer torcida, seja de um time de futebol ou de um time de peteca da igreja do 7º dia, sempre vai haver um vândalo com os nervos à flor da pele.

Junte a este vândalo outro vândalo, só que este com farda, capacete, cacetete na mão e o "direito de sentar a porrada" de baixo do braço e veja na merda que resulta.

Os acéfalos pagos pela população encarregados de proteger o público do espetáculo e vice-versa, vêem - em algumas situações - meia dúzia de vândalos e, ao invés de autuar apenas estes, saem confortavelmente linxando todo mundo. Depois, na vingança, esquecem porque começaram a brigar e sentam o pau.

E a imprensa se acomoda em fazer o mesmo que os PM's fazem:

Generalizar e aplicar a punição em massa.

E isso vai manipulando a massa.

Agora, o que temos de deixar claro - e acho que faltou isso no seu texto - é que alguns torcedores palmeirenses REALMENTE queriam briga com a PM. Não importa se era revide ou só raiva, mas eles bateram e tem VÍDEO mostrando isso.

E esses poucos são só o que a imprensa mostra e julga a massa. E a PM também. Mas existem, e temos que detê-los.

Abraços

www.blogdoro.net

Ricardo Teixeira disse...

Barneschi, lembro que há um tempo discutimos sobre uma tal "elitização" dos estádios, no Blog do Rô. E vc sabe que qdo falo isso não relaciono ao término da violência nos estádios. Pois como vc disse: soa como um discurso fascista.

Vou te falar a impressão que tive no momento em que começou a "guerra".
Eu estava no Setor VISA, e só pude perceber a gravidade da invasão qdo estavam lá, na arquibancada azul, vários policiais. Logo de cara já falei: Isso não é policial, é bandido. Invadir uma multidão dessa maneira só podem estar querendo uma coisa: holofotes!
Uns caras que tava na minha frente e amigos concordaram, e ali começamos a discutir sobre o número de policiais e sobre oq o Paulo Castilho iria falar depois da partida e comentamos: será que vai ter confusão pior na saída?
E oq mais assustava era que o PALMEIRAS estava sendo CAMPEÃO, EM CASA. Ou seja, 1 milhão de motivos para festejar!

Após o jogo, lembro do barulho das Bombas que atravessavam o hino e o coro de É CAMPEÃO!
Foi aí que me dei conta que alguma coisa feia tava acontecendo na Turiassú e confirmando oq eu e o pessoal comentamos no meio do jogo.

Na volta, lá liguei nas Rádios pra ouvir oq eu esperava. E chegando em casa, tbm já estava preparado para as críticas aos torcedores de "organizada".

Há um mês, eu li um livro do Caco Barcellos chamado Rota 66. Que conta a história do famoso caso que intitula o livro e de ações criminosas da Rota até meados da década de 90.
Desde a leitura, passei a suspeitar de algumas ações da nossa honorável polícia. Claro que é uma minoria que praticava atos criminosos, como acontece nas "organizadas", e são essas minorias que ganham a mídia e a opinião pública. Mas há uma diferença entre essas duas pequenas partes: A minoria bandida que participa da Polícia saí como heroína. Já a minoria bandida das "organizadas" faz TODOS saírem como bandidos e CULPADOS POR FAMÍLIAS NÃO IREM AOS ESTÁDIOS DE FUTEBOL.

Confesso que era mto otimista em relação a modernização dos estádios e o aumento da segurança para todos. Mas após esses fatos lamentáveis, vejo que o problema não é só na estrutura de nossas entidades. E sim naqueles bandidos que usam fardas.

Abraços

[SEP] Valmir disse...

Caraca, é longo mas vale a pena ler.
Tirado do Blog do PVC hoje:
Faz tudo parte do que nós estamos falando aqui, grana para o Deportivo Luquenõ etc.
Tenham paciência em ler.

Sobre o Marcos, é que o PVC fez uma tabela lá e colocou o Marcão como goleiro dos bambis, Fala Sério!!


Carrasco Detonador de BAMBIS!


Falando francamente, de um clube medíocre.em FRANCA DECADÊNCIA só podia se esperar isso.

O "glorioso" (com g bem minúsculo) clube BAMBI, se presta a dar dinheiro a um "Deportivo Luqueño" para ganhar vejam bem, do AUDAX!!!!????????
Isso mesmo, do AUDAX que pouco antes venceu o timéco medíocre por 1 a 0.
INACREDITÁVEL!!!!!

Mas no caso dos BAMBIS não surpreende. Um clube que COMPRA PARA VENCER, compra para PERDER.

Talvez tenham feito o mesmo no PANETONE, quando o GRANDE Deportivo Luqueño perdeu e deu a vaga a eles.

Um clube sem moral, também não nos surpreende que compre com "mimos", autoridades para perseguir Clubes e Torcidas.
Um "clubéco" desses, não faria mais que usar um spray nos vestiários, e montar um CIRCO MAMBEMBE como fizeram no Palestra Itália.

Estes caras SEMPRE foram "politiqueiros", metidos na sujeira, construindo um Estádio às custas de DINHEIRO PÚBLICO.

UMA VERGONHA NACIONAL!
Aliás o time BAMBi é CASO DE POLÍCIA.
MAUS PERDEDORES, que ao perderem os HOLOFOTES DA IMPRENSA, se desesperam e apelam de todas as formas mais nojentas e desonestas.

De longe é odiado não por conquistas, que em se tratando de futebol é normal um clube se destacar.
Só que SEMPRE houve fatos estranhos, uma proximidade tão íntima com a Sulamericana, na pessoa de Nicola Leoz, padrinho da neta do ex-Presidente Mesquita Pimenta, da época de ouro deles.

O clube BAMBI, não vencia apenas no campo.
Ele acostumado com a sujeira da política, trama pelas costas porque é covarde.

Tem uma torcida igualmente PODRE, DESONESTA, SEM TRADIÇÃO, que precisa que se IMPLORE para ela ir no PANETONE prestigiar o próprio time.

Uma torcidinha que menospreza seus próprios ídolos, que são ridicularizados por eles mesmos. Vide os casos de Kaka, Luis Fabiano, França, e tantos outros. Rogério Ceni que eles dizem ser o "maior ídolo", já foi chamado de "pipoqueiro" por eles.

O clube bambi não é o clube a ser "invejado" por ninguém, ao contrário, ele deve ser DESPREZADO, principalmente para quem for DECENTE E TEM VERGONHA NA CARA.

Uma torcida que tem elementos que DEFENDEM as sacanagens, que APROVAM GOLS DE MÃO e acham "BONITO E VÁLIDO" não tem MORAL para atacar ninguém.
Um clube que usa "Torcedores Autoridades" tanto fora como dentro do futebol, para pressionar jogadores, técnicos e clubes tem que ser combatido e será!

O problema do clube bambi, é que ele se acostumou desde o início de sua história VERGONHOSA, a querer vencer seus adversários armando situações extra-campo.

E só a exemplo do que é ser um HOMEM DE VERDADE, pergunto COMO o Marcos, PENTACAMPEÃO MUNDIAL está no gol deste clubéco?

Marcos é um homem de BEM, Rogério Ceni que manda e desmanda até na escalação do time, que só deixa jogar QUEM ELE QUER, é o IDEAL para ser o goleiro deles.

Marcos é um homem de HONRA, sem NADA a ser dito sobre seu caráter durante toda sua vitoriosa carreira.

Forza Palestra disse...

Rodolfo:
Concordo que há quem queira brigar com a PM. Cabe aos homens do Choque evitar isso. Mas não; o que eles fizeram foi partir para cima. E eu faço questão de ressaltar o fato de que chegaram batendo primeiramente não no núcleo da organizada, mas no povão que fica abaixo.

Ricardo Teixeira:
É bem por aí. Defender a elitização seria uma postura equivocada e os incidentes de domingo são uma prova concreta disso.

robinson LATTER disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...

eu estava na arquibancada e todo mundo viu que não estava acontecendo nada e eles subiram la e começaram a bater em todo mundo e ainda fecharam as saidas não deixando ninguém sair de la..imaginem 28 mil pessoas ja apertadas tentando sair de borrachada..em um dos corre corre ( o que é totalmente errado pois ai sim que da merda) um cara caiu em cima de um pessoal que veio desabando atingindo meu irmão, eu e minha mina que chorava totalmente assustada.. Quando conseguimos sair do meio da confusão ficando debruçados sobre a mureta que da para o fosso (ainda com o risco de desabar com o peso das pessoas) varios policiais faziam sinal com mão para aguardar que mais tarde o bixo ia pegar la fora.

Resultado: um joelho (dela) sangrando e quase quebrado com o peso das pessoas, uma calça rasgada, dois óculos quebrados, eu no departamento médico com ela desde o terceiro gol até o final da partida( pq os seguranças do palmeiras não conseguiam deixar agente sair da área do setor de vestiários pois tinha muita gente querendo entrar), não vimos a festa, não vimos a taça, eu quase sai na mão com o osmar garrafa que não quis registrar os fatos e minha mina não quer nunca mais pisar em um estádio.

para que eles subiram la?? eles queriam conter qual tumulto?? é melhor um pisca ou um joelho quebrado??

e o mais impressionante é que a imprensa só fala da briga do lado de fora e ninguém pergunta nas entrevistas para o coronel pq eles subiram la na arquibancada

rafael [palmeiras let's gol] disse...

Porra, fiquei até emocionado com o depoimento do mano lá em cima.

Esperar o que da imprensa? Lamentável.

Mas é isso ai. E no fds já tem brasileirão, esse ano tem que ser nosso!

Abraços!

A LUTA NUNCA ACABA!

Coruja disse...

O que vou fazer é postar esse link também no meu blog e não deixar isso ser esquececido. Também estava no campo, com minha filha de seis anos - e o que escrevi na minha página (e posto aqui) é o relato do que vi e do medo que passei. Antes que me corrijam: sempre me refiro ao promotor Paulo Castilho como procurador - com letra minúscula e não por engano - mas porque talvez ele realmente aja a mando de alguém que não aparece - mas nós, palmeirenses, sabemos bem quem é:

"PM

Truculenta, incompetente, burra e acéfala. Para quem foi ao Palestra, a Polícia Militar fez questão de mostrar, mais uma vez, o retrato do despreparo total onde chafurda aquele bando de símios que deveria zelar pela segurança do torcedor. Não quero gastar meu verbo com essa escória, então só duas notinhas:

1) se a presença de sinalizadores no estádio é proibida, então que não se deixe entrar com os mesmos na arquibancada; como não tiveram (nunca) competência para evitar o ingresso desses objetos, era a hora da PM engolir o fracasso e ficar quietinha olhando a festa. Agora, querer entrar no meio da Mancha Verde, durante o jogo, para arrancar da mão do torcedor os sinalizadores acesos, é pedir para levar patada nas costas. E muito bem dada, por sinal.

2) teve briga na Turiassu, ok. Não sei e não quero saber o motivo, briga haverá sempre - em qualquer praça onde se combine aglomeração de gente, festa e bebida. Pode ser em um jogo de futebol, danceteria, comício político, show a céu aberto, tanto faz: a polícia tem, simplesmente, que estar preparada. Como não estava (ou nunca esteve), decidiu-se chamar o reforço do efetivo que trabalhava dentro do estádio: foi brilhante... Famílias inteiras caminhando pelo corredor do fosso, tentando sair do Palestra com crianças no colo, quando passa aquela trupe de bandidos fardados em direção ao portão principal, atropelando quem estivesse na frente, pondo em risco a segurança e a vida do cidadão que podia ter morrido pisoteado ali.

E, procuradora:

Quer acabar com a Mancha? De novo?... Tá bom, mas eu quero uma polícia competente, preparada - e um Ministério Público menos Leonor."

RODNEI INDEPENDNETE disse...

SÃO PAULO FUTEBOL CLUBE TETRA CAMPEÃO DA LIBERTADORES.........COMO TE AMO TRICOLORRRRRRRRRRR COMO EU TE AMO DEMAAAAAAAAAIS,SE VOCE DEIXAR DE EXISTIR EU NÃO QUERO SORRIR NUNCA MAISSSSSSSSSSSSSS...............DA-LHE TRICOLOR NOVA MUSICA DE ARQUIBANCADA...PORCADA NUM TEM ESSE MUSICA SÓ FICAM NO OLE PORCO OLE PORCO EITA REPERTORIO POBRE E CHULO

Forza Palestra disse...

Vou até deixar o último comentário do bambi de 13 anos. Logo se vê que o figura não pisa em estádio e, assim, deve ter ficado empolgado com a musiquinha bizarra que a bicharada lançou ontem e que a Globo divulgou na transmissão.

Eu nem vou discutir a qualidade da música, pois a letrinha pobre e fuleira já dá conta disso.

Mas te digo que você, na condição de alienado, pode ter imaginado que o som alto da TV refletia a festa no Jd. Leonor.

Pobre de você.

Era uma meia dúzia a cantar, em um som amplificado pelos microfones instalados em ponto estratégico.

Duvido que a sua mente limitada seja capaz disso algum dia, mas talvez o seu ouvido fique mais treinado quando você chegar aos 16 ou 17 anos. Aí você vai conseguir distingüir a manifestação de uma grande massa da manifestação de uma meia dúzia de alienados.

A tecnologia faz milagres, ao menos para os leigos.

filipe disse...

O merdinha nunca foi ao estádio...
Mal sabe esse energúmeno que esses merdas inconseqüentes, que nada tem de Arquibancada, copiaram esse cântico. Ele acha que a merda da escória tem capacidade de alguma coisa...
ESSA MUSIQUINHA É COPIADA!!!

E outra: aquela merda não estava suspensa, assim como a MV estava quando a puliça subiu descendo borracha?
Tinha faixa e sinalizador.
E pra garantir o som, como você mesmo observou muito bem, colocam o microfone quase na boca dos merdinhas; pois nas imagens, estavam TODAS quietinhas. É ridículo...

É, Palestrino... passou da hora mesmo.

[SEP] Valmir disse...

HUAHUAHUAHAUHAHHUAHUA
PUTZZZ agora que eu vi essa pérola escrita pelo RODINHA
KKKKKKK


Se enfiarem um cassetete no rabo deles, com certeza vão cantar melhor e mais forte.
Lembre-se que as galinhas levam no rabo e saem cantando.
KKKKKKKKK

Eder disse...

Ainda sobre o caso da PM, em 2005 as bichas quando venceram a Libertadores ficaram furiosas e quebraram tudo na Paulista... E o que a nossa preparada , bem intencionada e inteligente PM fez na época? A perseguição contra o alviverde imponente vem de -e vai- longe... Contra a imprençinha, contra os bastidores... e agora contra o poder público... Como bem disse o Luxa, eles estão com uma inveja fudida da gente...ahahahahaa